sábado, 24 de setembro de 2016

concursos publicos

Como concorrer

Estando registado como empresa ou como empresário em nome individual em qualquer Estado-membro, pode concorrer aos concursos públicos que as instituições e outros organismos da União Europeia (UE) abrem regularmente.

Sabia que o «mercado da contratação pública nos Estados-Membros atingiu cerca de 1,8 biliões de euros em 2006, correspondendo a 16% do PIB da UE» e que «foram adjudicados às PME (…) 42% dos contratos públicos de montantes superiores aos limiares fixados pela UE, o que corresponde a 64% do número de contratos»?

Se concorrer poderá ter de preencher em algumas instituições ou outros organismos da UE um formulário de registo para dar conta da sua situação enquanto empresa ou empresário. Conheça os exemplos do Conselho da União Europeia e do Eurostat (Serviço Estatístico da União Europeia).

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

casos de sucesso

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS INOVADORAS  



A inovação tem potenciado casos de sucesso em Portugal, quer de instituições públicas quer de entidades privadas, mas, muito em particular, de PME e de "start-up".
Nas páginas seguintes vamos conhecer alguns exemplos de micro e pequenas empresas inovadoras que foram apoiadas pelo QREN, dando conta da diversidade de actividades apoiadas e do tipo de inovação envolvido em cada caso






terça-feira, 20 de setembro de 2016

Mais cursos

CINEMA E TELEVISÃO // HND In Creative Media Production

Sinopse

O Curso de Cinema e Televisão – HND, da ETIC, confere competências profissionais, criativas e técnicas para a produção de conteúdos audiovisuais.

Destinatários

Todos os interessados no trabalho de realização, produção, câmara, som, pós produção e escrita na criação audiovisual, tradução de ideias para o território das imagens e sons e os interessados em desempenhar funções profissionais nas diferentes áreas técnicas e criativas em produtoras de televisão, vídeo e publicidade, bem como em estações de televisão.

Estrutura do curso

DURAÇÃO: 800h + 200h (s/formador)
PARTICIPANTES: 8-16
TIPOLOGIA: BTEC - Higher National Diploma
IDIOMA: Português
HORÁRIO: 2ª, 3ª, 4ª, 5ª e 6ª entre as 9H e as 13H
DATA DE INICIO: outubro 2014 a julho 2016
PREÇOS E CONDIÇÕES DE PAGAMENTO:Opções de Pagamento da Inscrição na Certificação HND:600€ no ato de matrícula OU 300€ no ato de matrícula + 12 prestações mensais de 25€ (de Setembro de 2014 a Agosto de 2015).
Opções de Pagamento do Curso:
- 24 Prestações mensais de 365,90€ (de Setembro de 2014 a Setembro de 2016) (3,5% desconto incluido);
- 30 prestações mensais de 303,33€ de Setembro de 2014 a Março de 2017) (sem desconto)
**O valor correspondente ao pagamento da inscrição no curso HND destina-se à certificação internacional dos Higher National Diploma

domingo, 11 de setembro de 2016

Como obter um visto de trabalho europeu




Obter um visto para viver e trabalhar num país da União Europeia (UE) é não feat fácil, mas se você está dedicado a encontrar um emprego no estrangeiro, existem maneiras de proteger um visto de trabalho. Requisitos variam de país para país, portanto, certifique-se de olhar especificamente para o país onde você deseja trabalhar. Abaixo está um resumo dos requisitos gerais necessários para se qualificar para um visto no seio da UE.

Dificuldade: Moderadamente desafiador

Instruções
Coisas que você precisa
Contrato de emprego na UE
Passaporte válido
Prova de um registo criminal limpo
Pedidos de visto para o país da UE individual
Encontre um empregador. Se você é um não cidadão da UE, para ser elegível para um visto de trabalho, você deve ter um empregador que esteja disposto a patrocinar você. Encontrar um trabalho que vai patrocinar você quando você não tiver um visto pode ser difícil; sua melhor aposta é muitas vezes a olhar para as empresas multinacionais dentro de seu próprio país que estariam dispostas a transferi-lo no exterior e patrocinar o seu pedido de visto. Se você tiver experiência profissional dentro de um campo na demanda (internacional de negócios e tecnologia especializada profissionais são geralmente recrutados no estrangeiro), existem agências de posicionamento disponíveis que podem ajudar você no mercado para os empregadores europeus.
Reunir os documentos necessários. Para complementar o pedido de visto de trabalho, você provavelmente precisará preencher um pedido de visto geral e talvez um residência pedido de visto também. Na maioria dos casos, isso exigirá que você forneça prova de um registo criminal limpo, um passaporte ou seja válidos seis meses após o seu período de visto solicitado e às vezes banco instruções, juntamente com seu contrato de trabalho e outros materiais específicos de cada país.
Tenha muito cuidado com sua papelada. É extremamente importante que todos os seus documentos estão presentes com a quantidade de cópias na ordem certa; quaisquer erros na organização ou documentos em falta podem dràstica lento o processamento do seu visto, ou levar a sua solicitação está sendo negada. Certificar-se de que seu manuscrito é claro, e o nome que você lista em seu aplicativo corresponda exatamente seu passaporte, contratos e outros documentos.
Siga. Depois que seu visto foi aprovado, ainda existem coisas para fazer quando você chegar na Europa. A maioria dos países exigem que você registrar-se com as autoridades locais como um residente à sua chegada e renovar esta residência todos os anos. Verificar com a Embaixada do país que tiver emitido o visto para ver o que eles esperam de você. Não próxima reunião essas expectativas poderia pôr em perigo seu status legal na Europa.
Dicas & advertências
Conexões pessoais são a melhor maneira de invadir a força de trabalho Europeia. Ver se seus associados ou amigos em casa sabem qualquer um que poderia estar disposta a patrocinar você um visto na Europa. Se não, tente ir para Europa sem visto (moradores da maioria dos países são autorizados a permanecer por até 90 dias sem visto) se candidatar a empregos em pessoa. Se você for bem sucedido, você terá a cabeça volta ao seu país de origem para solicitar seu visto. Considere um visto de estudante. Na maioria dos países você é elegível para um visto de estudante se você se matricular para um determinado número de horas de aula por semana. Essas classes poderiam ser qualquer coisa de pós-graduação para um curso de língua, mas em alguns países vistos de estudante também permitem que você trabalhe a tempo parcial. Se seu objetivo em trabalhar no estrangeiro é ganhar experiência cultural, um visto de estudante pode ser uma boa opção, e trabalho a tempo parcial pode financiar a sua estadia.


Não tente trabalhar na Europa sem visto. Isso pode resultar em multas pesadas, prisão ou deportação, tudo o que o tornará muito difícil para você obter um visto ou até mesmo viajar internacionalmente no futuro.

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

caros seguidores

se estivermos com atençao, em particular aos emprestimos possiveis feitos pela cgd,verificamos que o juro nao vai alem de 3%,os prazos de reembolso vao,dependendo do valor ,ate 84 meses, e os valores emprestados ate 200000 euros.
Sera preciso ter em atençao as rubricas ''micro-credito'', ''credito solidario'' e,ate, minifinaciamento.
Portanto quem quiser resolver,tem muito por onde procurar!
    Boa sorte

Candidaturas a organismos da União Europeia





Questões frequentes




Conteúdos
1 Questões frequentes
1.1 Candidaturas a organismos da União Europeia
1.1.1 Como proceder para me candidatar?
1.1.2 Para onde envio a candidatura?
1.1.3 Não encontrou uma vaga para si?
1.2 Candidaturas à carreira geral da União Europeia
1.2.1 Como criar uma conta EPSO?
1.2.2 Como determinar a primeira e a segunda língua?
1.2.3 Que testes tenho de realizar?
1.2.4 Como preparar-me para os exames CBT?
1.2.5 Onde faço os testes CBT?
1.2.6 Que devo levar para os testes?
1.2.7 Esqueci-me do dia dos testes, posso marcar outra data?
1.2.8 Onde fica o Assessment Centre?
1.2.9 Posso concorrer a mais do que um concurso?
1.2.10 Se ficar apurado sou recrutado?
1.3 Questões frequentes sobre Peritos Nacionais Destacados (PND)





Como proceder para me candidatar?


O primeiro passo é ler atentamente o anúncio publicado em cada vaga e verificar se possui os requisitos exigidos: habilitações académicas, experiência profissional ou outro qualquer. Posteriormente, deve proceder conforme solicitado no anúncio; se for o EPSO a abrir o concurso deve começar por criar conta no sítio EPSO; se for um outro organismo a abrir o concurso, proceda como solicitado no anúncio, provavelmente, enviar o seu CV e uma carta de motivação.


Para onde envio a candidatura?

A candidatura é sempre enviada diretamente para a entidade que abre o concurso. Deve ler-se atentamente o anúncio pois são dadas informações claras e precisas sobre como concorrer. No caso da carreira geral (funcionalismo público comunitário), a entidade que recebe e seleciona é o Serviço Europeu de Seleção do Pessoal (EPSO - European Personnel Selection Office).


Não encontrou uma vaga para si?

Se não consegue encontrar nos organismos da União Europeia um emprego adequado para si, pode também tentar o sítio Internet EURES, que divulga empregos em todos os Estados-Membros da União Europeia e não só nos organismos da UE ou qualquer um dos links úteis indicados na barra direita do sítio Internet Trabalhar na UE.

Candidaturas à carreira geral da União Europeia

Como criar uma conta EPSO?


A conta EPSO é o registo eletrónico dos seus dados pessoais e morada de contacto criada pelos candidatos quando pretendem concorrer a um concurso e serve para comunicar entre o candidato e o EPSO. Para criar a sua Conta, clique em "Create your EPSO Account" no sítio EPSO e preencha todos os dados requeridos. Só pode criar uma conta. Se pretende candidatar-se a mais do que um concurso use a mesma conta.

Como determinar a primeira e a segunda língua?

A língua principal ou primeira língua deve ser uma das 23 línguas oficiais da UE e aquela que melhor domina – provavelmente a sua língua materna (pelo menos um nível C 1) mas pode ser outra. A segunda língua tem obrigatoriamente que ser diferente da 1ª e deve ser Inglês, Francês ou Alemão.


Que testes tenho de realizar?


Os testes para concorrer a um concurso geral consistem numa pré-seleção, baseados em CBT - Computer Based Tests, realizados no país onde vive e na 1ª língua; a segunda fase de testes realiza-se no Assessment Centre, na maioria das vezes em Bruxelas e geralmente consistem na defesa de um case study, num exercício de grupo, numa entrevista estruturada e numa apresentação oral, na 2ª língua escolhida: FR, EN ou DE.


Como preparar-me para os exames CBT?



Treine o máximo que puder, pois a experiência é vital para conseguir obter sucesso nestes testes. Encontra exemplos destes testes no sítio EPSO ou no sítio www.trabalharnauniaoeuropeia.eu; a Biblioteca Jacques Delors sediada na Reitoria da Universidade de Lisboa, possui livros de testes que pode consultar e treinar (9.30 – 18h). Estes testes são realizados na primeira língua.

Onde faço os testes CBT?


A primeira bateria de testes (raciocínio verbal, numérico e abstrato) é realizada no país onde vive; em Portugal, têm sido efetuados em Lisboa, na Universidade Lusófona.


Que devo levar para os testes?


Deve levar apenas a sua identificação (BI ou cartão de cidadão) e cópia do mail recebido do EPSO com confirmação dos testes. Se necessitar calculadora, é-lhe fornecida no local dos testes.


Esqueci-me do dia dos testes, posso marcar outra data?



Não. Se se esqueceu de ir fazer os testes CBT, a sua candidatura será considerada inválida e a sua participação nesse concurso acabou.


Onde fica o Assessment Centre?



A maioria dos Assessment Centres ficam em Bruxelas; receberá uma convocatória na sua conta EPSO para a realização destes testes. Em princípio, receberá uma ajuda monetária para a deslocação ao Assessment Centre.

Posso concorrer a mais do que um concurso?


Em geral, pode candidatar-se a quantos concursos quiser ou puder, de acordo com as suas habilitações. No entanto, note que quando um anúncio se refere a várias áreas, na maioria das vezes só pode candidatar-se a uma delas. O anúncio dirá isto claramente. Por exemplo, se se candidatou ao concurso de assistente em dezembro, pode candidatar-se a Administrador em março, desde que acabe a licenciatura até final de julho do ano em curso.

Se ficar apurado sou recrutado?

Passar todos os testes e ser um laureado não garante o recrutamento imediato por parte das instituições europeias. Passará a fazer parte de uma lista de reserva, válida por 1 ou mais anos, aonde posteriormente as instituições recorrem quando necessitam um candidato.

segunda-feira, 9 de maio de 2016

11 melhores sites para procurar emprego no estrangeiro












Procurar emprego fora do país é uma hipótese colocada por cada vez mais pessoas. Conheça alguns dos sites onde poderá encontrar a oportunidade certa.
Para quem esteja à procura de uma oportunidade de trabalho no estrangeiro são vários os sites que apresentam ofertas em diversas áreas. Um dos pontos importantes antes de começar a enviar o seu curriculum é procurar trabalho em sites conhecidos e ser sempre prudente quando as ofertas parecem demasiado boas. Lembre-se que está a concorrer para um país diferente e que há que ter sempre cautela para não ser alvo de enganos.
Veja os 11 exemplos dos sites mais conhecidos para procurar trabalho fora do país.
Eures – Trata-se de um Portal Europeu de Mobilidade Profissional e é um bom site para iniciar a pesquisa. Encontra ofertas de vários países europeus, assim como informações sobre o que necessita saber para viver e trabalhar no estrangeiro.

Euro Brussels – Dispõe de ofertas de emprego em instituições da União Europeia e outras organizações internacionais. Pode pesquisar por países, áreas, especialidades, etc.

Anywork Anywhere - Neste site não há intermediários. Os empregadores simplesmente colocam os anúncios e os interessados respondem directamente, não sendo necessário registo no site. É mais vocacionado para trabalhos temporários e projetos de voluntariado.

Eurojobs – Neste site encontra ofertas para todos os países da Europa. Por essa razão, a melhor forma de encontrar o que pretende é introduzir palavras-chave ou indicar o sector e o país no qual pretende trabalhar.

Monster - Este é um dos portais mais visitados no mundo inteiro para a procura de trabalho. Embora o dominio “.com” faça a pesquisa essencialmente nos EUA, desde que o projecto arrancou em 1994 tem-se expandido a cada ano, estando presente em vários países (Reino Unido, Espanha, Alemanha, etc).

Careerbuilder - À semelhança do Monster é um portal global de anúncios de emprego presente em diversos países, bastando alterar o domínio, ou seja, a parte final do endereço (.uk/.de) para o país pretendido.

International Careers & Jobs - Para quem procura fora da Europa este poderá ser um site a considerar, uma vez que reúne as ofertas diárias de vários sites de emprego mais relevantes a nível mundial.

Total Jobs - Este site reúne ofertas de emprego no Reino Unido, Irlanda e Escócia, estando a informação organizada por sector de actividade ou localização.

CV-Library - Se procura emprego no Reino Unido, este site reúne ofertas por todo o país. O site disponilibiza cursos online e dicas para construir um CV, Carta de Apresentação, entre outros.

Emprego pelo mundo - Este site foi criado para todas as pessoas que falam português e dispõe de ofertas de várias áreas em diferentes partes do mundo.


Linkedin - Nesta rede social profissional é possível encontrar ofertas de emprego para todo o mundo. Necessita estar registado e criar um perfil profissional. Quanto mais informação colocar sobre a sua carreira, maior é a possibilidade de poder vir a ser contactado, já que muitas empresas de recrutamento utilizam esta rede para contratar pessoas das mais diversas áreas.

sexta-feira, 17 de abril de 2015

POST OF THE DAY

Bertrand a recrutar colaboradores para várias oportunidades...

A Bertrand, editora, distribuidora e grupo de livrarias, está a recrutar colaboradores para várias oportunidades. Livreiros, gestores e colaboradores para a Feira do Livro de Lisboa são alguns dos novos postos. Tudo começou na década de 30 do século XVIII, quando Pedro Faure abriu uma livraria em Lisboa, tendo dado, sensivelmente uma década depois, sociedade…

sábado, 11 de abril de 2015

Emprego: 

Marcadores: 
São jovens licenciados que optaram por seguir um rumo diferente ao da sua formação. Numa altura em que os números do desemprego jovem voltam a bater recordes, há quem procure alternativas e consiga atingir algum sucesso.
Segundo os dados divulgados pelo relatório do Eurostat, o desemprego entre os jovens até 25 anos continua a subir. Em fevereiro de 2014 encontrava-se nos 35%, face aos 34,6% do mês anterior. Os valores avançados pelo Eurostat, gabinete oficial de estatísticas da União Europeia, colocam Portugal acima da média europeia, sendo que a Europa a 28 apresenta agora uma taxa média de 22,9% de desemprego jovem.
Joana Lage, João Teixeira da Cruz, Roberto Cortez e João Gomes são quatro jovens que não fazem parte destas estatísticas. As razões que os levaram a exercer fora da sua área de formação são diferentes, mas hoje estão contentes com aquilo que fazem.
Joana é licenciada em Fisioterapia e trabalha como assistente de bordo na companhia aérea TAP Portugal. A familiaridade com a profissão fê-la embarcar nesta viagem e facilitou a decisão. Dos quatro, Joana Lage é a única que já exerceu na área para que estudou, mas quando começou a trabalhar como fisioterapeuta apercebeu-se de uma série de condicionantes que a deixaramdescontente com a profissão em Portugal.
Tal como Joana, a família de João Teixeira da Cruz também teve alguma influência aquando da escolha do seu futuro profissional. Licenciado em História, trabalha por conta própria numa empresa de mediação e corretagem de seguros: “O meu pai exercia a atividade por conta de outrém, numa outra empresa, e a minha mãe também, logo eu é que assumi. Fiquei com a carteira de clientes dele e abri um escritório”, conta.
João não se arrepende do curso que escolheu e garante tirar partido do que aprendeu. Joana também reconhece a utilidade da Fisioterapia na sua profissão e assegura que os conhecimentos adquiridos durante a licenciatura ajudam-na a reagir de forma mais assertiva a algumas situações. “Nós podemos ter imensos casos médicos a bordo (…) e [é bom] mesmo para mim, permite-me saber o que está a acontecer com o meu corpo enquanto assistente de bordo”.
Roberto Cortez e João Gomes licenciaram-se em Relações Internacionais e Estudos Europeus mas a dificuldade em arranjar emprego fê-los seguir caminhos diferentes. A falta de oportunidades na área levou Roberto a viajar até à República Checa, onde começou a trabalhar enquanto assistente de marketing numa empresa multinacional. Hoje trabalha como freelancer em marketing online e garante que o facto de sempre ter gostado de “internet, tecnologias e de tudo o que estivesse relacionado com o audiovisual” fizeram-no agarrar a oportunidade.
João Gomes reconhece que foi a crise atual que motivou a procura de emprego no estrangeiro. Trocou Portugal por Inglaterra para começar a trabalhar como comissário de bordo na companhia aérea Ryanair. Para João, o curso de Estudos Europeus tem-se mostrado útil para o cargo que desempenha, sobretudo pela bagagem cultural que adquiriu: “Quando estás a tirar um curso nesta área, acabas por estudar culturas diferentes e maneiras de abordagem diferentes” o que, garante, acaba por facilitar a interação com as pessoas com quem trabalha. Ao contrário, Roberto assegura que o curso não o ajudou em nada, pelo menos em termos práticos.
Joana, Roberto e João Cruz estão satisfeitos com o sucesso profissional que alcançaram e não se imaginam a exercer nas suas áreas de formação. João Gomes contraria a tendência e afirma ambicionar um dia conseguir um emprego ligado aos Estudos Europeus: “Gostava de tentar trabalhar na área de Relações Internacionais/Diplomacia porque acho interessante. Basicamente, vou tentando”.

sexta-feira, 10 de abril de 2015


BOLSAS EM DESTAQUE