Financeiro e investimento

Investimento industrial, 22 julho 2016
2016-07-22 às 19:34

«SÓ NESTE ANO ASSINÁMOS 450 MILHÕES DE EUROS DE INVESTIMENTO»

O Primeiro-Ministro António Costa afirmou que «só neste ano assinámos entre investimento estrangeiro e não estrangeiro, mas em regime contratual, já cerca de 450 milhões de euros de investimento», durante a assinatura do contrato de investimento com a empresa Amy's Kitchen, em Santa Maria da Feira.
O Primeiro-Ministro referiu os números do Instituto Nacional de Estatísticas para mostrar que há uma clara tendência de aumento do investimento.
Os dados do INE mostram que, no primeiro trimestre de 2016, houve um aumento de 13% no investimento e de 6% nas intenções de investimento, relativamente ao período homólogo de 2015.
A Amy's Kitchen é uma empresa norte-americana de refeições vegetarianas pré-cozinhadas, que vai construir em Portugal a sua primeira fábrica fora dos EUA, onde foi criada em 1987. As refeições produzidas destinam-se a abastecer o mercado europeu.
O investimento inicial é de 37 milhões, criando 160 empregos, e no final dos cinco anos que a empresa tem planeados, um investimento total será de 60 milhões de euros e terá criado 600 empregos diretos. A fábrica deverá estar a laborar em pleno em 2018.
500 milhões previstos para os próximos meses
Para os próximos meses, estão previstos mais cerca de 500 milhões de euros de investimento empresarial. Este investimento, nacional e estrangeiro, demonstra que há «empresários, vontade efetiva em investir, iniciativas reais para concretizar e confiança nessa aposta», disse também o Primeiro-Ministro.
O Governo vai manter na ordem do dia e como prioridade a criação de condições para o investimento e o apoio ao investimento, condição essencial para que haja maior crescimento económico, aumento de riqueza e mais emprego qualificado, afirmou.
«Esse é um esforço grande que temos de fazer, mas que, no fundo, é criar condições para corresponder àquilo que é a intenção natural, vontade efetiva e confiança que os empresários têm vindo a revelar nas oportunidades de, neste momento, poderem investir», acrescentou António Costa.
Para criar confiança nos investidores é necessário que haja «estabilidade nas políticas e nas orientações» disse ainda